Região ganha ao menos 3 supermercados

image001

Até o fim do ano, o Grande ABC deve ganhar pelo menos três supermercados. A estimativa do setor, conforme a Apas (Associação Paulista de Supermercados), é de que aproximadamente 1.000 postos de trabalho sejam abertos com a execução dos planos de expansão. Entre as empresas que pretendem ampliar os negócios na região estão as redes Sonda, Coop (Cooperativa de Consumo) e o Grupo Pão de Açúcar.

O Sonda, que possui loja em São Bernardo, já iniciou a construção da segunda unidade na região, que será no Parque das Nações, em Santo André. Segundo funcionários da obra, a inauguração está programada para o primeiro semestre, possivelmente em junho. Em frente ao futuro empreendimento, foi afixada faixa informando sobre vagas para padeiro, auxiliar de padeiro, confeiteiro, auxiliar de confeitaria, açougueiro, auxiliar de açougueiro, auxiliar de peixeiro, auxiliar de manutenção, eletricista, cartazista, operador de supermercado, operador de caixa e balconista para padaria e setor de frios. Os currículos devem ser entregues dia 10 de abril, das 9h30 às 11h30, na Rua Uruguai, 57. Oficialmente, a empresa não divulga a data de abertura nem o número de contratações.

Já a Coop planeja abrir mais duas unidades no Estado até o fim do ano, sendo uma em Tatuí, no Interior, e outra no Grande ABC, mas em local ainda não definido. “Estamos buscando imóveis. No ano passado, estávamos com contrato praticamente fechado, que não pôde ser viabilizado por problemas de documentação. Por isso, tivemos de deixar para 2015”, informa o diretor-presidente da cooperativa, Marcio Valle. Cada nova loja deverá empregar cerca de 190 pessoas. As últimas aberturas da rede ocorreram em 2010, nos bairros Vila Metalúrgica e Vila Pires, ambos em Santo André.

Vice-presidente da Apas, o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) afirma que o Grupo Pão de Açúcar abrirá ao menos uma unidade na região. As bandeiras escolhidas serão o Minimercado Extra e/ou o Minuto Pão de Açúcar, que são menores em relação aos hipermercados tradicionais e têm perfil de proximidade com o consumidor. O grupo informa que, em todo o País, é previsto para 2015 crescimento de 6% nas vendas em lojas físicas e que, em razão dessa expansão, 20 mil colaboradores devem ser contratados. A empresa pontua que não pode fornecer dados específicos por região antes de comunicá-los ao mercado.

O Grupo Carrefour Brasil, que tem no Grande ABC 12 lojas das bandeiras Carrefour, Carrefour Bairro e Atacadão, não revelou plano de crescimento. O Joanin, de São Caetano, inaugurou unidade em São Bernardo neste mês.

Morando acrescenta a possibilidade de a região receber novas empresas do ramo conhecido como ‘atacarejo’ – mistura de atacado com varejo. “Essas redes já estão adquirindo imóveis e devem abrir de uma a duas lojas ainda neste ano”, salienta.

MUDANÇA DE PERFIL – O diretor-geral da consultoria Mixxer e especialista em varejo e bens de consumo, Eugenio Foganholo, avalia que a tendência é de diminuição de espaço para hipermercados e abertura de lojas menores. “O objetivo é atender a demanda por consumo imediato e oferecer proximidade ao cliente.” Ele cita também o potencial de crescimento dos ‘atacarejos’. “Em caso de compras com baixa frequência, mas em grande quantidade, esses estabelecimentos apresentam preços mais competitivos.”

Em relação à crise econômica do País, Foganholo destaca que “o segmento de alimentos, representado principalmente pelos supermercados, sofre pouca oscilação, mesmo que positiva”. Isso porque, em momentos de retração, o consumidor deixa de comprar outros produtos para dar preferência às despesas domésticas.
(Colaborou Marina Teodoro)
Coop investe R$ 90 milhões em 2015

A Coop (Cooperativa de Consumo) fará investimentos de aproximadamente R$ 90 milhões para expansão da rede em 2015. Desse montante, quase metade (R$ 40 milhões) será destinada à compra de terreno para o novo CD (Centro de Distribuição). “Atualmente, o CD funciona em espaço de 17 mil m² de área construída (em Santo André) e está ficando pequeno em razão da demanda. Queremos um com cerca de 50 mil m², que é quase o triplo”, afirma o diretor-presidente da marca, Marcio Valle. Ainda não há local definido, mas o executivo diz que a intenção é comprar imóvel próximo à divisa entre Santo André e Mauá.

Outros R$ 20 milhões serão aplicados na abertura de duas lojas ainda neste ano – uma em Tatuí, no Interior, e outra no Grande ABC, em endereço ainda não confirmado. Com as contratações estimadas em 190 pessoas para cada nova unidade, o quadro de colaboradores deverá subir de 5.400 para quase 5.800. Também está prevista a reforma de cinco lojas, todas na região. O serviço deverá custar em torno de R$ 27 milhões. Mais R$ 3 milhões serão injetados na abertura de cinco drogarias externas (localizadas em endereços diferentes dos supermercados). Uma delas será na Vila Assunção, em Santo André. As demais também ficarão no Grande ABC, mas ainda não há definição dos locais.

Valle vê o momento atual de recessão como oportunidade de crescimento. “É melhor acelerar quando a economia está devagar porque, quando recuperar, você estará com velocidade firme de investimento.”

Fonte: Diário do Grande ABC

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *