Mulheres – empoderamento e crescimento diante do mercado

Mulheres_empoderamento-300x217Nos últimos tempos, o Portal VGV tem acompanhado o crescimento de mulheres à frente de negócios de sucesso. Desta vez vimos em alguns conteúdos o potencial delas para 2015. As promissoras investidoras ou gestoras estão tomando conta do mercado.

Em nota da Ademilar, empresa de consórcios de investimento imobiliário, seu público feminino tem crescido e nos últimos seis anos perceberam aumento de 79,44%, na comercialização com mulheres. Atualmente, cerca de 25% dos consorciados são mulheres, entre eles a empresa afirma que 49,13% está na faixa dos 40 anos e que 45,35% têm de 26 a 39 anos. Já a classe social varia de A a C. A Ademilar credita o crescimento do público feminino ao negócio dos consórcios, devido à independência financeira e pela melhora na igualdade social, que apesar de ainda não ser igualitária, tem demonstrado avanço.

Já em uma pesquisa do PayPal, feita entre mulheres empresárias que têm um negócio próprio há menos de três anos, além de mulheres que querem abrir o seu negócio agora, cresce a expectativa por melhorias para a classe e o otimismo quanto a abertura de mercado e a igualdade de classes. Tal pesquisa foi feita nos Estados Unidos, China, França e México e revelou que as entrevistadas ouvidas nestes países se dizem otimistas, e veem poucas barreiras para o seu sucesso quanto empreendedoras.

O levantamento com 1,2 mil mulheres foi divulgado globalmente ao final do ano passado e revela que as principais motivações para abrir o próprio negócio são similares entre ambos os grupos de mulheres estudados – tanto as que já são empresárias, quanto as que aspiram em sê-lo, elencaram “encontrar um melhor equilíbrio na vida profissional”, “ganhar maior independência” e “ser mais bem sucedida financeiramente”.

Aqui, no Brasil, contamos com grandes casos de sucesso de mulheres empreendedoras no próprio mercado imobiliário. É o caso de Valeria Correa que nos contou um pouco sobre as dificuldades em criar sua empresa, a Plazza Realty Brasil. “Foi realmente muito difícil. Imagina que comprei uma empresa linda por fora, mas que não tinha produtos e nem pessoas. Tive que buscar tudo e aprender como lidar com todas as coisas e pessoas. No primeiro momento não havia dinheiro para grandes contratações e isto eu acredito que tenha sido o meu maior desafio”, relembra a empreendedora, explicando que aos poucos teve que aprender sobre um mercado que para ela era novo. “Fazer reuniões cujos assuntos eu não sabia nada e ter a necessidade de aprender tudo rapidamente. Isto só me fez crescer, pois a cada dia meu conhecimento aumentava e em muito pouco tempo eu já conhecia todos os departamentos da minha empresa”, frisa.

Valeria Correa, empreendedora da Plazza Realty Brasil

Valeria Correa, empreendedora da Plazza Realty Brasil

Segundo ela, as contratações começaram com pessoas que não eram da área, por terem um custo menor, mas que ela mesma as treinou para serem ótimos em suas funções. “Ensinei cada uma delas a trabalhar do meu jeito, com tudo que havia sonhado”, conclui. Questionado sobre os seus planos, Valeria conta que “desejava muito ter o meu negócio porque sempre acreditei que poderia fazer muito mais do que fazia”, não apenas por ela, mas para conseguir ajudar outras pessoas com sua atuação e sua empresa e isto ela faz com contratações improváveis. “Muitas vezes contrato pessoas que ninguém contrataria, e com o tempo estas se transformam e os resultados são surpreendentes.  Trabalho porque amo o que faço, preciso dos resultados financeiros, mas enxergar tantas famílias vivendo da minha empresa é um orgulho muito grande para mim”, frisa Valeria.

Quanto ao ramo imobiliário ela demonstra muito contentamento, não apenas com a sua atuação mas com o mercado em si. Valeria é uma das mulheres à frente de uma grande imobiliária e com isto diz que passou sim por muitas dificuldades, como tantas outras empresas, mas lembra que ensinou seus funcionários e corretores a pensar de forma diferente ao mercado, “mostramos a eles como fazer, como economizar e como gastar naquilo que realmente é importante”.

E estes corretores e funcionários são, em sua grande maioria, mulheres. Cerca de 70% dos atuantes, são mulheres. E Valeria ressalta ainda mais: “gosto muito de trabalhar com mulheres. São organizadas, focadas e por isto acho que os resultados são melhores”, mas não significa que as mulheres são prioridade na contratação. “Quando procuro por algum tipo de mão de obra, não olho para o sexo, mas sim para a qualificação desta pessoa”, termina.

A empreendedora de sucesso ainda deixou uma mensagem para as novas empreendedoras:

“Diria a todas que nos leem, que ter um negócio não é fácil. Ele demanda tempo e muita paciência. Muitas vezes , somos obrigadas a deixar de lado família, amigos  e lazer… e ainda chegar ao final do dia sem conseguir o resultado  esperado.

É muita perseverança. É se levantar no dia seguinte com uma vontade ainda maior de construir e de alcançar os sonhos planejados, é faltar nas apresentações da escola de seu filho  e muitas vezes chegar em casa quando seu marido já está dormindo.

Muitas vezes, escutei de meu marido: desiste, você está perdendo anos de sua vida, mas a minha vontade de crescer e chegar era tanta que eu buscava forças e continuava…

Graças a Deus, hoje, olho para trás e só sinto orgulho de estar conseguindo  ajudar  mais de 300 famílias a levar seu sustento para casa, por poder realizar os sonhos de minha família e por, principalmente, realizar o meu sonho!”

Por Thalita Freitas

Fonte: Portal VGV

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *