Construtoras alteram projetos para atender novas exigências

Sao-Bernardo-do-Campo-abc-paulista

Entre as principais exigências dos novos compradores estão a boa localização e serviços extras do condomínio

 

O perfil do comprador de imóveis está mudando. Jovens com até 35 anos já representam 44,4% dos mutuários na Caixa Econômica Federal, segundo dados referentes a novembro de 2014. As construtoras também calculam que ao menos entre 15% a 20% dos clientes sejam jovens.

 

Para atender esse público, as construtoras têm feito alterações nos projetos imobiliários, criando produtos que atendam as expectativas da juventude. Entre as principais exigências estão a localização do imóvel – que deve ser próximo do local de trabalho, na maioria das vezes -, a oferta de uma ampla e equipada área de lazer e uma boa infraestrutura de comércio e serviços na região.

 

Bairros como Chácara Santo Antônio e Vila Anastácio, que estão em desenvolvimento, são os preferidos dos mais novos, assim como a região central. A última preocupação dos novos compradores é o preço.

“Nos últimos três anos, o mercado imobiliário percebeu o potencial do público entre 25 e 35 anos. A grande oferta de financiamentos e as taxas de juros atrativas facilitaram o acesso. O que para uma geração foi muito difícil, para essa é bem mais fácil”, explica Romeu Braga, diretor da Living. Especializada neste público, a empresa tem 80% dos seus clientes nesta faixa etária.

Os apartamentos de um e dois dormitórios, com 60 metros quadrados, são os preferidos dos jovens, que geralmente são solteiros ou casais sem ou com um filho.

 

Financiamento

O desejo de comprar a casa própria chega cada vez mais cedo na vida dos brasileiros. Dados do simulador habitacional do site da Caixa Econômica Federal apontam que 44,8% das pessoas que realizaram a simulação do financiamento tinham idade entre 26 e 35 anos no ano passado. Os que têm menos de 25 anos foram 15,4% dos usuários. “É o jovem que está querendo comprar imóvel”, afirma o vice-presidente de Habitação da Caixa Econômica Federal, José Urbano Duarte.

Os números dos acessos ao simulador apontam que 43% das pessoas que realizaram a simulação de crédito querem financiar imóveis com valores entre R$ 100 mil e R$ 150 mil. Na faixa entre R$ 150 mil e R$ 200 mil estão 19,4% dos que querem comprar a casa própria.

Os dados inseridos pelo interessado no financiamento do imóvel representam a verdadeira situação do cliente em geral. É que o mutuário seria prejudicado na simulação caso colocasse informações irreais . “Isto influenciaria na prestação, seja do ponto de vista do seguro, seja do prazo do financiamento e do valor da prestação que vai pagar”, explica.

 

São Bernardo é melhor cidade para investir

Para o investidor, São Bernardo do Campo é a melhor cidade brasileira com menos de 1 milhão de habitantes para investir em imóveis, de acordo com pesquisa da Prospecta Inteligência Imobiliária. A segunda posição entre os 5.553 municípios analisados é de Campo Grande (MS).

 

A renda média elevada das famílias, a qualidade de vida que a cidade proporciona, o déficit imobiliário e a idade média da população entre 20 e 49 anos são alguns dos fatores que explicam a liderança da cidade do Grande ABC. A maioria dos compradores da região tem buscados imóveis de até R$ 350 mil.

 

Fonte: jornal Destak.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *